Plano Director Cultural do Município de Cantanhede

A cultura, vista em toda a sua latitude, isto é, desde as manifestações da chamada ‘alta cultura’ (pintura, escultura, artes performativas, etc.) à ‘cultura popular’ (artesanato, folclore, gastronomia, etc.), das novas ‘indústrias culturais’ (publicidade, audiovisual, multimedia, etc.) às actividades que se estruturam em torno da valorização e exploração do património é actualmente um sector com peso na economia, gerador de riqueza e de emprego (directo e indirecto).

As suas potencialidades económicas permitem perspectivá-la como uma alternativa a outros sectores geradores de rendimento e de emprego, ou como complemento destes, numa estratégia de diversificação das economias locais e da procura de novos nichos de especialização.

Considerando este contexto, o Plano Director Cultural (PDC) do Município de Cantanhede – o primeiro realizado em Portugal – pretendeu configurar-se como um documento estratégico de desenvolvimento sustentado e equilibrado e como um instrumento de concertação de intervenções, materiais e imateriais, definidor da política cultural a prosseguir no concelho, balizado pelas perspectivas de desenvolvimento económico e social, no sentido de conseguir o máximo de efeitos sinergéticos, quer no que concerne à valorização dos recursos humanos e robustecimento da coesão social, quer na promoção da imagem que Cantanhede projecta para o exterior.

Ficha técnica

Área de Intervenção

Município de Cantanhede

Cliente

Câmara Municipal de Cantanhede

Ano

2001

Tipo

Plano de Desenvolvimento Cultural